13 maio, 2008

Podcast #1 - Propaganda subliminar ou efeito sonoro?

Olá amigos!

Como não é de costume, resolvi gravar uma pequena Reflexão de 6 minutinhos para TENTAR expressar algo que percebi e que me deixou muito encasquetado. Como o assunto é simples e nem tão extenso para escrever algo, resolvi gravar isso ai!

A produção não é uma das melhores, a voz não é de nenhum locutor profissional e o assunto nem tão abrangente assim, porém, foi uma análise que ocorreu sem querer e que precisava compartilhar com alguém. O conteúdo rápido engloba mensagem subliminar. Segue o player abaixo para ouvir:

boomp3.com

Tente prestar atenção no exemplo. Se puder, aumente o volume no momento para notar o som percebido.

Som do conhecido Nextel em uma música católica. Seria um (d)efeito sonoro ou algo intencional? Gostaria de saber a sua opinião também.

Espero que consiga perceber o que quero dizer e que compartilhe com seu comentário.

Então é isso! Um forte abraço!

Vinícius Luiz.

4 comentários:

Felipe Magalhães disse...

daqui a pouco ele passa a fazer propaganda de balões assim como o outro lá do GPS (Gente o Padre Sumiu!)

Jailton Vasconselos disse...

Olha, tive que ouvir umas 2 vezes para perceber mas realmente consegui notar. Você deve ter um ouvido bionico ou seu ipod tava no talo! Eu também acho que, como ele usa o Nextel, há uma grande probabilidade de ser algo de proposito. Mas nao podemos afirmar nada. Nunca tinha entrado no seu blog e gostei do podcast. Eu li um artigo seu no webinsider e por acaso encontrei seu blog. espero que grave mais! ótima observação

Anônimo disse...

NÃO É POSSÍVEL QUE EU OUVI ISSO!!!! Mensagem subliminar em música de igreja... e o que é pior ... é uma propaganda. Propaganda mesmo. O padre marcelo mandou muito bem nessa! kkkkkkkk

Marcos.

Billy disse...

Sensacional.
Mas devido à tosqueira da qualidade de produção nacional, pode nem ser mensagem subliminar.
De repente o cantor deixou o nextel dele dentro da jaqueta dentro do estúdio de gravação. E gravaram a voz dele com o fone tocando no fundo. Ninguém percebeu...
Vai saber...